APJ
14/09/16 13:23 - Araraquara

Crise tira três pessoas por hora dos planos de saúde, em Araraquara

Em Araraquara, mais de sete mil clientes cancelaram o plano; mudança reflete no aumento de atendimentos nas UPAs

Paula dos Santos

Número de atendimentos nas UPAs de Araraquara aumentou no começo deste ano

A crise fez muitos araraquarenses migrarem do plano de saúde para o SUS (Sistema Único de Saúde). Segundo dados da ANS (Agência Nacional de Saúde), eram 110.523 pessoas que optaram pelo plano em dezembro de 2015. Três meses depois, em março de 2016, o número de clientes caiu para 102.919, ou seja, 7.604 usuários a menos.

Essa mudança pode ser refletida nas UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) de Araraquara, que tiveram um aumento do número de atendimentos no começo deste ano. Em janeiro, foram feitos 8.867 atendimentos na unidade do Centro e mais 3.831 na Vila Xavier. Em abril, o número total subiu de 12.698 para 16.848. Ou seja, em quatro meses, houve um crescimento de 3.786.

O porteiro Vinícius Roberto da Silva, de 32 anos, começou a pagar o plano de saúde junto com os outros funcionários na empresa em que trabalha há quatro meses. “Percebi que não usei o serviço nesse período e paguei R$ 120 todo mês, então achei melhor cancelar. Fiz isso essa semana”, conta.

Vinícius acredita que o plano vale a pena para quem tem crianças ou demais dependentes, não no caso dele. “Eu pagava só para eu usar e não usei. Cancelei para economizar mesmo, pois com essa crise aumentou tudo e todo mundo está apertado”, diz.

Região
Nas cidades da nossa região, também houve uma queda no número de usuários dos planos de saúde. Em São Carlos, caiu de 99.575 para 98.008 entre dezembro de 2015 e março de 2016, ou seja, 1.567 a menos. Foi a primeira vez que houve queda desde 2013, pois desde então o número vinha aumentando mês a mês.

Em Rio Claro, caiu de 39.548 para 92.418 entre setembro de 2012 e março de 2016, ou seja, foram 1130 usuários a menos. Sendo assim, Araraquara foi a cidade que mais teve queda no número de pessoas com planos de saúde comparando com as cidades com o mesmo porte da região.

Desemprego colabora para queda também
O cenário nacional não é diferente do regional. Os planos de saúde perderam 910 mil clientes nos primeiros seis meses deste ano, sendo que a crise econômica continua sendo o principal fator para essa queda.

Neste mesmo período, o Brasil perdeu 448 mil empregos formais, segundo o Ministério do Trabalho. Com o aumento do desemprego, muitas pessoas que tinham o plano de saúde por conta do benefício empresarial também tiveram que recorrer ao SUS. Hoje, o número de pessoas com planos empresariais é três vezes maior que aqueles que têm planos individuais.

Contexto Paulista