APJ
05/09/16 17:27 - Jundiaí

Em grupo, jovens se solidarizam e reforçam função do voluntariado

Raquel Loboda Biondi

Grupo de jovens da Paróquia São José Operário, do bairro Retiro, ajuda a Cidade Vicentina com a venda de milho

Entre os voluntários que atuam na Feira da Amizade deste ano, no Parque Comendador Antonio Carbonari, o Parque da Uva, grupos de jovens se dizem estimulados pela ação solidária. São muitos que, por iniciativa própria ou convites, ajudam em barracas de alimentos para arrecadar fundos às entidades inscritas. Assim, eles afirmam sentir protagonismo na própria geração.

“É muito bom ajudar. Esta é a primeira vez que participo e acredito no trabalho voluntário como forma de fazer o bem a alguém”, diz Gilmar Agostinho Júnior, 18 anos, que ao lado de mais três colegas da faculdade, trabalhou neste domingo (04) na barraca da Associação de Combate a Aids Infantil (Acai). Gilmar é aluno de Educação Física da Esef Jundiaí, assim como os amigos. “Somos da mesma sala e achei importante participar para sairmos ‘deste mundinho paralelo’. Temos que ajudar o próximo”, diz Diego de Paula Silva, 30 anos, que convidou os colegas.

“É muito bom dedicar nosso tempo livre ao outro, para fazer o bem”, disse Ronaldo dos Santos, 21 anos. “Não fazemos por dinheiro ou interesse. Fazemos mesmo para ajudar e isso é o mais importante”, completou Felipe Silvestroni, 20 anos.

O grupo ajudou nas vendas de petiscos da barraca. “O envolvimento dos jovens em qualquer ação social é muito importante. Foi uma iniciativa deles. Eles procuraram a instituição e como somos poucos, eles estão nos ajudando muito”, avaliou a presidente da Acai, Flávia Botelho. A entidade ajuda, hoje, 57 crianças de 0 a 12 anos e 30 famílias.

Outro grupo, ligado à Paróquia de São José Operário do bairro Retiro, ajuda nas vendas da Cidade Vicentina. “Para ser voluntário, é preciso doar seu tempo às pessoas. É importante que o jovem se mantenha atuante independentemente da igreja”, disseram Murilo Scobim e os colegas que venderam milho.

A Feira da Amizade deste ano, iniciada na sexta-feira, conta com a participação de 22 entidades sociais. O evento segue no próximo fim de semana, sexta-feira, sábado e domingo. Além das barracas de comidas típicas, há exposição do trabalho de artesãos do programa “Jundiaí Feio à Mão” e atrações musicais locais. A Prefeitura de Jundiaí espera receber 55 mil pessoas nos seis dias de festa.

Contexto Paulista