APJ
03/10/16 11:42 - Mogi das Cruzes

Ações de vandalismo alteram o cenário urbano de Mogi

As placas de trânsito são alvo dos vândalos

O vandalismo está cada vez mais presente na paisagem urbana do Município. Os principais alvos dos marginais são os muros, prédios e, especialmente, os equipamentos públicos. Além de deixar a Cidade com aspecto feio e de sujeira, setores como trânsito também são prejudicados com as depredações. A Prefeitura investe em fiscalização para tentar contornar o problema, mas ainda assim é obrigada a trocar uma média de 20 placas de sinalização por mês. O custo destas intervenções é variável, no entanto gira em torno de R$ 1 mil mensais.

A fiscalização é feita pela Secretaria Municipal de Segurança, por meio da Guarda Municipal, responsável pela vigilância do patrimônio público e integridade dos prédios municipais. O trabalho conta com patrulhamento e ajuda das câmeras de monitoramento operadas pela Central Integrada de Emergências Públicas (Ciemp), além de alarmes instalados em prédios.

A Secretaria Municipal de Segurança informa que entre janeiro e agosto deste ano foram flagrados 12 casos de pichação em imóveis públicos e particulares. No mesmo período do ano passado, houve três casos. A multa para quem for flagrado é de 50 Unidades Fiscais do Município (UFMs), o que equivale a R$ 7.605,00. Quanto aos danos ao patrimônio público, entre janeiro e agosto de 2016, foram registrados nove casos. O mesmo período do ano passado totalizou 16 ocorrências.

A Secretaria Municipal de Transportes (SMT) também sofre as consequências das ações de vandalismo. A Pasta informa que para manter a Cidade é preciso fazer uma manutenção da sinalização vertical de maneira rotineira pelas equipes do Departamento de Trânsito. Além dos problemas com vandalismo, explica que as placas também são trocadas por desgaste natural ou por acidentes, entre outros motivos.

A fim de tentar reverter esse quadro, a SMT realiza um trabalho de prevenção e desenvolve a conscientização com as crianças e adolescentes da Cidade. A importância da sinalização e o respeito às normas de trânsito são abordados dentro das ações de “Educação para o Trânsito”, realizadas pela coordenadoria responsável.

O trabalho envolve crianças na Escola Mirim de Trânsito ou em unidades da rede de ensino que recebem palestras, bem como motoristas, em várias ações desenvolvidas durante o ano. O secretário municipal de Transportes, Nobuo Aoki Xiol, fala sobre a importância desse trabalho e explica que a busca da melhoria na segurança e fluidez do fluxo de veículos acontece em três áreas: Educação para o Trânsito, Engenharia de Tráfego (que engloba sinalização e adequações viárias) e Fiscalização – complementação da Educação.

“Em Mogi, os resultados do trabalho são positivos, com a redução no número de acidentes”, reforça, observando que entre 2007 e 2015 houve redução de 51,4% nas ocorrências, de 36,6% nos casos sem vítimas, 75,7% naqueles com vítimas e 68,2% nos atropelamentos. Esta tendência se reflete na diminuição de 65,8% no volume de feridos nestes acidentes.

“Estes números mostram a importância do respeito à sinalização de trânsito e também do trabalho que é desenvolvido para que as vias de Mogi das Cruzes estejam devidamente sinalizadas, tanto com a sinalização horizontal (pintura de solo) quanto com a sinalização vertical”, destaca.

Contexto Paulista