APJ
08/09/16 16:14 - São José dos Campos

Pessoas com deficiência vivem maratona diária

Daniela Santos / Danilo Alvim

Beto Faria/PMSJC

Os Jogos Paralímpicos estão prestes a começar, com a missão de celebrar o esporte e oferecer para as pessoas com deficiência uma oportunidade de mostrar seu valor. Fora da área esportiva, as pessoas com deficiência enfrentam no dia-a-dia uma verdadeira ‘maratona’ nas cidades da RMVale, enfrentando obstáculos provocados pela falta de adaptação adequada nas ruas, como rampas, avenidas em boas condições ou espaços para uma cadeira de rodas, por exemplo.

Uma carência que atinge tanto locais públicos como prédios particulares.  Morador da zona leste de São José, Jefferson Pinto, de 36 anos, que tem deficiência física, sente esse drama diariamente. Ele diz que há ônibus novos que não oferecem estrutura adequada.  “No centro, é tudo bonitinho, agora na periferia é outra história. E eu só ando de ônibus, tanto para o trabalho quanto para sair”, contou.

Jefferson já viveu uma situação constrangedora. “Uma vez, a rampa não estava funcionando e uma mulher começou a gritar que eu era o culpado por ela se atrasar”, completou.

Dados. Só em São José são cerca de 41.700 pessoas com algum tipo de deficiência, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Já em Taubaté, 24% da população declarou ter algum tipo de deficiência. Dentre as declaradas, 4% foram intelectuais, 14% motoras, 18% auditivas e 64% visuais, segundo o instituto.

Emprego. Segundo pesquisa da empresa ‘Talento Incluir’, com 4.319 pessoas com deficiência, 62% afirmaram ter dificuldades para conseguir emprego, sendo que 58% têm deficiência motora. “O desenvolvimento de atividades esportivas contribui para o melhor desempenho das tarefas diárias da pessoa com deficiência”, afirmou a coordenadora do Próvisão, Gorete Cortez.

Contexto Paulista